© Bend & Break
Ela teimou e enfrentou o mundo se rodopiando ao som dos bandolins.
Bend & Break

“Às vezes, começar de novo é exatamente o que uma pessoa precisa. E eu acho que é algo admirável. Muitas pessoas não têm a coragem necessária para fazer algo assim.”

Nicholas Sparks.  (via alentador)

“As pessoas entram na nossa vida com um propósito: Ou para construir ou para destruir.”

Pedro Bial.  (via velejo)

“Que a gente tenha mais vontade e menos preguiça. Mais coragem e menos medo. Mais alegria e menos lágrimas. Mais abraços e menos vazio. Mais sorrisos e menos cara amarrada. Mais leveza e menos reclamações. Mais saúde e menos doença. Mais colo e menos solidão. Mais mãos dadas e menos braços vazios. Mais conhecimento e menos cabeça fechada. Mais trabalho e menos corpo mole. Mais mudança e menos mais do mesmo. Mais acertos e menos erros. Mais entendimento e menos julgamento. Mais acolhimento e menos frustração. Mais perdão e menos picuinha. Mais elogio e menos fofoca. Mais reforço positivo e menos crítica negativa. Mais respeito e menos grosseria. Mais educação e menos palavrão. Mais caridade e menos olhares para o próprio umbigo. Mais olho no olho e menos palavras que nada valem. Mais tolerância e menos rebeldia. Mais cuidado e menos egoísmo. Mais doçura e menos grito. Mais esperança e menos desilusão. Mais fé e menos incertezas. Mais resposta e menos interrogação. Mais amor e menos gente que não sabe o que isso significa.”

Clarissa Corrêa.  (via velejo)

“As horas não sabem mais passar, desaprenderam vivenciando as consequências, desacostumaram a se locomover devido a falta de bateria, ocasionada pela saudade interminável e intransigente que me aperta o coração. Os ponteiros ficam brincando de silenciar ainda mais a vida que já não faz mais sentido. Esse sentido que só existia quando esses olhos mortos te viam brincando de ser criança em nossa cama, pulando com dois travesseiros nas mãos e me convidando para uma guerra que eu considerava mais como um tratado de paz. O tic-tac contínuo que me irritava os tímpanos em épocas passadas descansa hoje calado no relógio de parede do quarto, sem mover-se, incapaz de mostrar-me o tempo correr. O mundo parou e eu não sei o que fazer para mudar isso, meu bem. O mundo parou porque você parou de voltar para os meus braços — esses que te acolhiam tão bem que você os chamava de segundo lar.”

Junior Lima.  (via delator)

“Eu posso segurar minha respiração, posso morder minha língua, posso ficar acordada por dias se é isso o que você quer. Eu posso fingir um sorriso, posso forçar uma risada, posso dançar e atuar se é isso o que você pede. Posso te dar tudo o que eu sou. Eu posso fazer isso. Mas eu sou apenas humana e eu sangro quando caio. Eu sou apenas humana e eu me despedaço e eu me quebro. Suas palavras na minha cabeça, facas no meu coração. Você me iludiu e então desmoronei, porque eu sou apenas humana.”

Christina Perri. (via reprovador)

“Sempre que chego em casa, me refugio em meu quarto, fecho a porta, às vezes durmo, às vezes canto e danço, acho que meus pais jamais saberão que por trás de tudo isso, peço socorro, mas nem eu sei por que.”

Alice, 1980.    (via delator)

546